Vanja Hertcert - Arquitetura

Assoc. Brasileira de Enologia

Fórum de Arquitetura do Vinho

Na cidade de Mendoza, Argentina, aconteceu neste mês de setembro um interessante Fórum abordando a nova arquitetura de vinícolas. O grupo de palestrantes dissertou sua experiência e seus estudos sobre distintos aspectos, desde a implantação da unidade de produção em relação aos acessos e vinhedos, até a finalização do espaço como conceito de produto. Passou pelos fatores determinantes de um espaço como tecnologia e climatização.

Dissertou sobre a importância do trabalho integrado entre diferentes personagens e profissionais: o proprietário da vinícola, o enólogo, o agrônomo, o engenheiro de processo, e o arquiteto, cabendo a este último a articulação entre as diferentes áreas.

Os atributos do vinho, como expressão da filosofia do vinicultor, as características visuais do prédio da vinícola e o design da embalagem formam uma unidade que estabelece a identidade da marca.

Num mundo em constante evolução, é natural que a viti-vinicultura também sofra profundas transformações. São novas tecnologias para aprimorar processos, que necessitam espaços adequados. Surgem ainda novos conceitos de apresentação do produto ao mercado, associando o produto final ao espaço onde ele é elaborado.

Definir uma marca é assumir uma identidade, e é exatamente isso o que as novas vinícolas estão procurando, e alcançando. Numa cultura visual, a imagem de um prédio é um fácil gerador de significados. Um prédio com estilo focado na marca e seus significados, promove tanto para o proprietário quanto para o público um entendimento mútuo do produto. Este não é um exercício superficial; não é uma tendência. Melhor, é uma sofisticada manifestação do entendimento de que a comunicação visual transcende todas as outras, particularmente nos dias de hoje. A verdade por trás disso, é claro, fica evidenciada pelo poder da mensagem visual, comunicação que vai além da linguagem; e é verdadeiramente internacional.

O prédio e as instalações da vinícola influenciam o ânimo e o espírito das pessoas que lá trabalham e que a visitam. Refletem nossa ambição quanto ao vinho. Proporcionam motivo de orgulho ou não.

O mesmo se aplica ao design da embalagem. O design da embalagem coloca o vinho onde e como o consumidor o percebe. Se não corresponder às expectativas do vinicultor, todo seu esforço de agregar atributos ao seu vinho estará perdido pela simples e direta desclassificação pelo consumidor.

Portanto, a imagem desejada para o vinho também deve estar claramente expressa na sua apresentação material direta: o rótulo e demais elementos de embalagem. O design do produto se apóia no design da vinícola e se materializa no design da embalagem.

Se o vinho pretende disputar em condições de vencer a concorrência globalizada, as características de forma e estilo do prédio onde será produzido e o design da embalagem devem antecipar ao consumidor a qualidade e atributos prometidos pelo produtor.

A imagem desejada para o vinho também deve estar claramente expressa na sua apresentação material direta: o rótulo e demais elementos de embalagem. Design do produto se apóia no design da vinícola e se materializa no design da embalagem.

Leia mais