Vanja Hertcert - Arquitetura

Revista TodoImóvel

Um lugar especial / acessar

As adegas trazem um universo de sabores e aromas para as residenciais

Equilibrados, profundos, carnosos ou espirituosos. Todas essas qualidades podem ser encontradas ao degustar um bom vinho, contudo, o melhor exemplar da safra mais venturosa pode perder suas características e até mesmo se deteriorar se estiver em más condições de armazenagem. Por isso, mãos à obra! O cuidado para prolongar o sabor de um bom estoque deve partir da contratação de profissionais que vão construir uma adega e torná-la um ambiente agradável e, mais importante, com condições ideais de temperatura, ventilação, luminosidade e umidade para guardar seus vinhos. Para a construção, o primeiro passo é procurar pontos distantes das fontes de calor e, principalmente, de raios solares. Para economizar material e ser inteligente, uma boa sugestão é projetá-la no interior da casa, próxima da escada e acessada por um alçapão. Se preferir construí-la na área externa, ficam bem incrustadas nos jardins e até próximas das piscinas – esses são locais mais frescos – afinal, sempre deve existir um pouco de umidade para climatizar as garrafas. "O engenheiro deverá implantar uma parede-dupla no subsolo, que contenha a umidade excessiva da terra. Assim, a primeira parede deve ser de concreto, a segunda servirá como uma parede de contenção e, para revesti-la, existem muitas alternativas: pedras, tijolos, tábuas e caixotes de transporte de vinhos, painéis de rolha e argila expandida", explica Mauro Otero de Freitas, da Sincorá Construção.

Para saber:

A palavra adega também é conhecida como cave e, possivelmente, tem origem no termo francês cave: lugar especial da casa, em geral no subsolo, que precisa ter condições climáticas controladas para melhor conservar os vinhos. Por isso, a arquiteta Vanja Hertcert, de Bento Gonçalves, RS, e o enófilo e proprietário da Wine School, Ricardo Bohn Gonçalves, dão algumas dicas sobre as condições adequadas para armazenar as garrafas:

Estocagem

Nem todo vinho precisa ser estocado, apenas alguns para envelhecer. "Bons vinhos ’de guarda’ – aqueles em que a mudança se faz no sentido de melhorar, adquirindo maior complexidade aromática, ganhando em maciez e arredondando o sabor na boca - tem uma boa estrutura de taninos e também uma ótima acidez", diz Gonçalves.

Temperatura

Mantê-la é o fator mais importante. Se ficar entre 10 e 15° C teremos a ideal. Algo abaixo de 20º já é aceitável. Mais importante que a temperatura correta é não haver grandes oscilações. Isso mata o vinho. Nas adegas, como o ar quente sobe, a parte mais alta será sempre mais quente que a baixa, portanto procure colocar os vinhos brancos e rosés na área inferior e os tintos nas prateleiras superiores.

Umidade

Deverá ter de 60 a 80%. Se os níveis ficarem acima, não afetará o vinho, mas em compensação haverá dano para o rótulo. Com o nível de umidade baixo, a rolha ressecará e encolherá, podendo prejudicar e muito o vinho.

Luz

Bloqueie a entrada de luz natural e projete uma iluminação suave e difusa. Em adegas rústicas, a iluminação, preferencialmente, deve ser indireta, feita com arandelas. Uma iluminação elétrica com interruptor automático para deixar a luz acesa só quando for necessário no espaço é uma boa medida.

Ventilação

É fundamental que a adega, independentemente das suas dimensões, tenha uma boa aeração, impedindo assim o acúmulo de umidade e o consequente surgimento de fungos e bolores. A circulação de ar corrente também irá manter a armazenagem livre de maus cheiros que podem afetar o aroma do vinho. Produtos químicos como tintas e material de limpeza devem ficar distantes da sua adega.

Estabilidade

Conserve os vinhos distantes de movimentos e vibrações. Mantenha-o isolado do chão e longe de paredes caso esteja próximo de máquinas ou ferrovias. Uma dica é não colocar muitas garrafas no mesmo vão para manter o equilíbrio das estantes.

Posição

Deixe as garrafas sempre na horizontal , para que o líquido fique em contato com a rolha, evitando o ressecamento dela e impedindo a entrada de oxigênio.

Vale a pena construir?

Funcionalidade e praticidade da adega não devem ter relação direta com os espaços de degustação e convivência. A adega é primeiramente o local para guardar os vinhos. "A permanência de pessoas em espaços de degustação poderá alterar a temperatura do local , por exemplo, desajustando as condições ideais para o vinho" alerta, Gonçalves. Outra questão importante é avaliar quais são as necessidades reais para a construção, ou seja, a quantidade de garrafas que pretende possuir. "Tudo depende dos seguintes fatores: o consumo, o grau de interesse pela bebida e o espaço físico disponível. Eu, por exemplo, tenho uma cave de 60 garrafas, sendo que elas estão climatizadas", comenta Aquiles Nícolas Kílaris, de Americana, SP. De acordo com Freitas, é sempre importante consultar um especialista e refletir se com seu perfil é mesmo válido construí-la , afinal o custo do projeto deve compensar e proporcionar vantagens ao proprietário. Se na sua residência não tiver uma área naturalmente fresca e não houver possibilidade de mexer no subsolo, não desanime! Segundo Kílaris, nesses locais não tão adequados, é necessário utilizar elementos térmicos isolantes. Isso pode ser feito com pinturas especiais ou utilização de materiais como o poliuretano, por exemplo. "O mais difícil é adequar o sistema de climatização, que deverá manter a umidade do ambiente e também uma temperatura média de 15o C", frisa.